Progresso científico e valores

bioetica e biodireito livro roberto wider

“Não se deve cercear o progresso científico, mas de todo indispensável que ele se faça com observância de valores maiores, como a dignidade humana. O ponto de harmonização entre essas duas necessidades, aparentemente conflitantes, há de ser encontrado pela Ética e pelo Direito. Tal tarefa, de início a cargo da filosofia, que de pronto dedicou-lhe uma de suas áreas, a Bioética, de imediato exigiu a atuação simultânea do Direito que, igualmente destinou-lhe um campo próprio, ainda em formação – o Biodireito.”

Heloisa Helena Barbosa

Vivemos novos tempos em que aceleradas mudanças sociais, até então inconcebíveis, estão se tornando realidade, antes mesmo que o indivíduo e a sociedade como um todo tenham condições de assimilá-las e, mais ainda, distinguir o que é socialmente aceitável ou não.

O progresso científico não pode ser impedido de ocorrer. Entretanto, é fundamental que esteja preservada a dignidade humana como valor maior. Heloisa Barbosa (2001) aponta esta necessidade de harmonização entre dois aspectos, tarefa esta tradicionalmente a cargo da Filosofia, mais especificamente da Ética, que, conjugda ao Direito, norteia a codificação das práticas sociais.

Dentre as várias facetas da multiforme realidade que nos cerca, elegemos analisar os avanços da Biotecnologia, da Engenharia Genética e da Medicina que refletem diretamente o sistema natural de reprodução humana, seja pelo sem número de possibilidades de utilização do mapeamento genético, seja pela infinita perspectiva de cura e prevenção de doenças geneticamente determinadas e suas manifestações.

Advertisements